Campus Party Recife


Campus Party Recife

 A essa altura do campeonato você já deve ter ouvido falar a respeito da Campus Party, o maior evento tecnológico nerd do mundo, onde milhares de pessoas de todas as partes do planeta se reúnem em um local e compartilham uma internet ultra-veloz por vários dias. O evento que já ocorre há 5 anos em São Paulo ganhou pela primeira vez uma versão no Brasil fora da capital paulista e a cidade que recebeu as honrarias foi a de Recife! É claro, que eu não poderia deixar passar em branco e fui lá jogar diablo conferir o que rolou na Campus Party Recife. =D

 Bem superficialmente, a Campus Party pode parecer apenas uma lan house gigantesca onde os nerds se reúnem para aproveitar a internet fodona de 5 gbps e baixam todos os tipos de torrent, além de colocar a jogatina em dia. A grande diferença talvez seja a falta de navegadores abertos no orkut e a possibilidade de podermos conferir nomes de peso da internet em palestras relacionadas a tecnologia extremamente interessantes.

 Entre a galera que deu o ar da graça na Campus Party Recife (foram mais de 200 horas de conteúdo), os que mais me chamaram a atenção foram Alexandre Hohagen, vice-presidente do Facebook na América-Latina, que no final das contas não falou nada que você já não saiba acompanhando uma penca de blogs de tecnologia; os sempre simpáticos Azaghal e Alexandre Ottoni do Jovem Nerd e, por último, as celebridades da internet como o PCSiqueira, Cid do Não Salvo, Marcel BQEG, Rodrigo do Jacaré Banguela e por aí vai, que fizeram um painel bem divertido sobre o assunto. No lado mais técnico tivemos a excelente palestra de Chris e John a respeito de uma plataforma da Mozilla para telefones baseada em HTML5; a do engraçadíssimo Gustavo Guanabara falando um pouco sobre SEO e também a palestra dos engenheiros brasileiros que trabalham no Facebook explicando um pouco a difícil missão de escalar um serviço usado por quase 1 bilhão de pessoas e a cultura hacker da empresa.

 Mas sem sombra de dúvidas a palestra mais interessante e que mais me tocou foi a de Bel Pesce, uma nerd brasileira que estudou engenharia no MIT, trabalhou em empresas como a Microsoft e o Google e hoje toca uma startup no Vale do Silício. A simpática menina do Vale, contando um pouco de sua história, nos inspira e ensina a importância da perseverança, de abraçar as oportunidades, acreditar em você mesmo e correr atrás de seus objetivos. Se você tem uma ponta de espírito empreendedor, eu sugiro que assista ao vídeo da palestra na Campus Party e baixe o livro dela gratuitamente em PDF. =D

 Além das palestras, uma das coisas que mais me chamou a atenção foi a energia dos participantes. Deve ser algo cultural mas no primeiro dia era aquele silêncio de deixar qualquer sala de aula com inveja, tal façanha que nos concedeu o título de campuseiros mais silenciosos do mundo. Mas eu acho que o acanhamento logo foi passando e a galera começou a se soltar, a ponto de fazer uma verdadeira algazarra e ajudar a criar um dos pontos mais épicos de todas as Campus Party que fui: A exibição do clássico episódio do Pica-Pau nas cataratas do Niágara. Foi algo sensacional ver a galera vibrando com as mãos para o ar ecoando o já tradicional grito de guerra do evento toda vez que o Pica-Pau trollava o pobre senhor do episódio. =D

 Outro fato curioso foi notar como o centro de convenções de nosso estado é sobrecarregado. Tinha tanta coisa simultânea ocorrendo por lá, que sábado eu acabei presenciando uma das cenas mais surreais e aleatórias da minha vida: Ver os nerds da Campus Party, as piriguetes do "maior show do mundo" e como se já não bastasse essa mistura, uma galera toda embecada colando o grau juntas foi algo épico que me garantiu umas boas risadas!

 Para concluir, gostaria de falar a respeito da coisa que eu acho a mais legal na Campus Party (até exaltei numa entrevista que dei para a Folha de Pernambuco a respeito do assunto). Pode ser meio que coisa de nerd sem vida social mas o convívio com aqueles amigos que até então você está acostumado a interagir apenas pela internet ou até mesmo que só conhece através dela é bom demais! É algo sensacional dá voz e corpo ao que até então eram apenas avatares numa tela de computador. Se a internet aproxima quem está longe e distancia quem está perto, a Campus Party é o evento perfeito para distorcer um pouco essa triste realidade.

 Então nada melhor do que aproveitar o espaço e mandar um grande abraço para algumas dessas pessoas no meio de tantas outras que eu tive o prazer de encontrar perdidas por lá, Duda mais conhecida como a mestre do Song Pop, Augusto, Faccenda e Caio que provavelmente bateram o recorde dos coreanos em horas seguidas jogando Diablo, os palestrantes Claudinha e Buchecha, Rafa do Tecnoblog, o escoteiro Yeltsin, Jairo, o escritor Zé, a outra Duda, Safadão, Anninha, a lenda Beto, Jorginho, Marginal, os empreendedores Guilherme e Braguinha, Amanda e até mesmo Pamonha que se apossou do meu computador por quase uma tarde inteira para colocar o vício de LIMBO em dia. =P

 No final a Campus Party Recife acabou me surpreendendo, mesmo ficando meio gripado e não podendo aproveitar o evento tanto quanto eu pretendia (o objetivo inicial era passar umas 48 horas sem dormi e depois colocar aquele lugar abaixo), tive apenas experiências muito positivas e acredito que não fui a única pessoa, Mario Teza (organizador do evento) inclusive chegou a comentar na festa de encerramento que aquela tinha sido a melhor Campus Party de todas (é verdade que ele deve falar isso em todos os lugares que vai, como essas bandas da vida que vivem dizendo ter feito o melhor show da vida delas). Agora é esperar que o governo fique feliz com o resultado e que muitas outras ocorram por aqui. Agora é só esperar. =D